Rafinha-Flamengo-Grêmio
Foto: Divulgação/Flamengo

Na última quinta-feira (09), o Grêmio venceu o Atlético-MG, em Porto Alegre, pelo placar de 4 a 3, mas não garantiu a permanência na Série A. Logo, Rafinha, que fez parte de toda caminhada na competição, foi rebaixado com o Tricolor para segunda divisão. Assim, pode-se considerar como o pior momento da carreira do lateral-direito de 36 anos.

É provável que o Rafinha não dispute a Série B com o Grêmio, pois ele tem contrato com o clube até o dia 31 de dezembro. Porém, há dois pontos que podem acertar em uma renovação de vínculo: o atleta é um dos líderes do grupo e o salário não é muito alto (cerca de R$ 400 mil mensal).

Entretanto, o defensor tem mercado no futebol brasileiro. Bem como, clubes como Atlético-MG e Flamengo chegaram a sondar a situação do jogador. Dessa maneira, o lateral pode se manter na elite do Brasil em uma outra equipe na próxima temporada.

Rafinha chegou ao Grêmio no dia 28 de março deste ano, onde conquistou o Campeonato Gaúcho e a Recopa Gaúcha. Sendo assim, ao todo, disputou 41 partidas e anotou oito assistências. Ele foi o líder em passes para gol do Tricolor no Brasileiro, com sete.

Portanto, é nítido a queda na carreira do atleta após a saída do Flamengo. Rafinha participou do elenco multicampeão de 2019 e era considerado um dos líderes daquele grupo. Todavia, o lateral-direito preferiu retornar à Europa, atuando pelo Olympiacos, da Grécia. Ficou cerca de seis meses e rescindiu contrato com os gregos. Dessa forma, veio pro Grêmio e foi rebaixado no Brasileirão. Ou seja, do luxo ao lixo.

VEJA MAIS:

Solução caseira? Maurício de Souza é criticado por rubro-negros na web

Renê avalia temporada do Flamengo após mais uma derrota: “Foi um ano difícil”

De inspiração no Pablo Marí à quinto zagueiro: Bruno Viana fará seu último jogo com a camisa do Flamengo

Comentários do Facebook