Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

Declaração do treinador espanhol repercutiu entre a torcida do Flamengo, que pede um profissional europeu após a demissão de Renato Gaúcho. Anteriormente  com o catalão Domenec Torrent, Jordi Guerrero se apaixonou pela Nação Rubro-Negra, e sonha em treinar o Mengo no futuro.

Ex-treinador do Palamós FC e auxiliar-técnico no Girona, Sevilla, Espanyol e Flamengo de Dom, o espanhol Jordi Guerrero deu uma declaração nessa semana ao portal Trivela. Mesmo sem ter vivido a experiência de estar ao lado da torcida quando este no clube, o técnico pensa um dia em voltar como treinador principal e ter essa vivência:

O Filipe Luís sempre me dizia que jogou em todos os estádios da Europa e igual o Maracanã não tem. Eu tenho pendente de ir um dia ao Maracanã cheio, ver o ambiente, quero fazer isso. Eu vou fazer isso! Não sei quando, mas um dia irei ver um jogo. Gostaria que fosse como técnico, né? – disparou sorrindo.

O treinador espanhol que fez parte da comissão do ex-auxiliar de Pep Guardiola assumiu a equipe no surto de COVID-19 que pegou 19 membros do elenco do Fla, incluindo Dome. Nesse ínterim, em 2020, Jordi Guerrero entrou nas graças da torcida após vencer por 4 a 0 o Independiente Del Valle pela Libertadores, no Maracanã. E logo depois, com uma equipe formada quase que inteiramente por jovens das categorias de base, o auxiliar comandou àquela equipe no empate contra o Palmeiras, dentro do Allianz Parque.

No final das contas quando perdemos contra o São Paulo levávamos 12 jogos sem perder, já começávamos a ter bons números. Acho que com um pouco mais de paciência, teríamos ganho o Brasileirão, com certeza. Talvez a Copa do Brasil não, porque o resultado da ida contra o São Paulo era difícil [de reverter]. Mas acho que a liga teríamos ganho bem. E a Libertadores… Bem, na Libertadores a gente competiu muito bem. Ficamos em primeiro no grupo e estávamos competindo bem. Não se sabe nunca. Se tivéssemos tido tempo, poderíamos estar sábado no Uruguai jogando a final da Libertadores – concluiu.

Por fim, aos 53 anos, Guerrero pensa em retornar a ser treinador principal:

Algum dia o Dome dirá que não quer mais treinar ou eu receberei uma oferta de algum lugar. Mas acho que ainda tenho caminho por recorrer com o Dome, que posso aprender mais coisas, ele é muito bom. Ele foi auxiliar do melhor do mundo. No Barça, no Bayern e no City. E foi técnico do Flamengo. É um cara que sabe muito. É preciso aprender”.

Twitter: @Victor_Andrade4.

Comentários do Facebook