Ronaldo Angelim foi o grande herói da conquista do Brasileirão 2009. Foto: Reprodução
Ronaldo Angelim foi o grande herói da conquista do Brasileirão 2009. Foto: Reprodução

Ronaldo Angelim, sinônimo também de entrega e dedicação vestindo o manto Rubro-Negro. Com mais de 10 títulos conquistados com o Flamengo, entre eles Brasileirão e Copa do Brasil, o Magro de Aço sabe o que falar quando o assunto é Mengão.

Por isso, o Portal Urubu Interativo promoveu uma entrevista exclusiva com o ex-jogador e ídolo do Clube, Ronaldo Angelim, sobre o atual momento do Mais Querido. Confira:

  • Um dos setores mais criticados do Flamengo é a defesa, onde você fez história. Na sua opinião, o que falta para o setor defensivo do time se acertar? Nomes melhores ou um novo sistema?

Angelim: “Acho que o Flamengo agora tem bons zagueiros. Mas na minha opinião, não tem necessidade de jogar com 3 (zagueiros). O time está acostumado com a linha de 4 defensores, com Rodrigo Caio recuperado e David Luiz jogando. O Flamengo vai ter zagueiro suficiente pro revezamento da temporada e, por isso, acho que o problema foi resolvido.”

  • Entre os títulos que conquistou, você tem a Copa do Brasil de  2006. Porém, o Mengão não conquista esse campeonato desde o ano de 2013. Um título como esse, faz falta para o time?

Angelim: “Faz falta financeiramente. Não é um título tão importante como Brasileirão, Libertadores ou Mundial… Mas é uma competição rentável pro clube. Por isso, o Flamengo tem que estar sempre priorizando, não só pelo dinheiro, mas também pela classificação direta pra fase de grupos da Libertadores.”

  • Em 2006, você fez um grande dupla de zaga com Fábio  Luciano. Atualmente, o técnico Paulo Sousa prefere utilizar um sistema de três zagueiros, ao invés de dois. Qual sua opinião sobre essa formação?

Angelim: “Acredito que não seja bom pro time atual. Até porque, o time sempre foi bastante ofensivo, já que o Flamengo de Jorge Jesus conquistou tudo com esse estilo de jogo, e com três zagueiros atrás você não consegue adiantar muito as linhas. E não é essa a forma que o Fla gosta de jogar. O Filipe Luís mesmo, é um cara que é armador, e ajuda muito lá na frente. E por isso, tem que dar mais liberdade. Mas ele (Paulo Sousa) já está entendendo isso, e daqui pra frente, a tendência é só melhorar.”

  • Quando falamos sobre Raça, Amor e Paixão, muitos torcedores lembram de você. Na sua visão, falta algum desses “ingredientes” aos jogadores dentro de campo?

Angelim: “Não acho que no Flamengo falte Raça. Pra mim, falta voltar a jogar como era. Paulo Sousa está conhecendo ainda a equipe, e fazendo algumas experiências. Aos poucos, ele vai vendo que quanto menos mexer na formação que JJ deixou, melhor. Mas ele (PS) está melhorando o entrosamento. Na minha opinião, Gabigol, Bruno Henrique, Arrascaeta e Everton Ribeiro não podem sair jamais (do time titular) e os outros jogadores precisam atuar nas posições que se sentem mais confortáveis.”

  • O Mengão acabou passando por uma frustração enorme, na final da Libertadores. Essa derrota impactou na produção do time, principalmente em Andreas Pereira. Na sua opinião, é possível que o jogador consiga dar a volta por cima ou ele deve procurar “novos ares”?

Angelim: “Na Libertadores, título importante, você cometer uma falha, fica um pouco preocupado. Mas isso não depende só do jogador, a torcida tinha que ajudar ele, e sabemos do jogador que ele é. Se a torcida vaiar ele (Andreas), vai tirar a confiança do jogador. Se tiver que ficar, a Nação vai ter que ajudar ele nessa parte psicológica, com incentivo. Inclusive faz parte da posição que ele joga, porque você não vai acertar tudo. Mas se a torcida não tiver essa paciência, acho que é melhor Andreas procurar novos ares.”

 

A Equipe do Urubu Interativo agradece, mais uma vez, a disponibilidade de Angelim para ceder a entrevista para o Portal.

Acompanhe o Urubu Interativo no Twitter!

Me siga no Twitter e Instagram!

Comentários do Facebook