Oscar
Reprodução

O meia atacante Oscar é o próximo alvo do Flamengo. O jogador, atua no futebol chinês e  seu clube, o Shangai Port, ainda não decidiu se permitirá que o meia atue por outro clube neste espaço de tempo. Contudo, tem um dado interessante sobre o possível reforço Rubro-Negro.

O jogador tem o maior salário do país asiático: 24 milhões de euros por ano (R$ 129 milhões), receita superior a de sete clubes, que  disputaram a Série A, no ano passado, incluindo o rival regional, Botafogo.

Antes da venda de sua SAF e na Série B, o alvinegro, é bem verdade, teve um ano atípico em termos de arrecadação em 2021. Ainda assim, Oscar faturou mais no ano passado que os R$ 126 milhões do Bota. Goiás, Avaí e Coritiba também estavam na segunda divisão, o que naturalmente reduz o faturamento.

Além do Botafogo, Atlético-GO (113 mi), América-MG (102 mi), Coritiba (88 mi), Cuiabá (70 mi), Juventude (68 mi), Goiás (50 mi) e Avaí (25 mi) também tiveram arrecadação inferior a Oscar na China. Por pouco, o meia não chega também ao Cruzeiro, que teve R$ 135 milhões de receita em 2021.

A nível de curiosidade, o salário do jogador é o 10º mais alto do mundo. Na Ásia por exemplo, o brasileiro perde apenas para Iniesta, do Vissel Kobe, do Japão, que recebe 31 milhões de euros.

Bons números credenciam Oscar

Em suma, Oscar participou de 171 partidas pelo Shangai Port. Nesse sentido, balançou as redes adversárias 51 vezes e distribuiu 69 assistências, somando 120 participações diretas em gols. Na China, conquistou o campeonato local em 2018 e a Supercopa no ano seguinte.

Confira os números de Oscar por temporada na China:

2017: 40 jogos, 9 gols e 10 assistências
2018: 40 jogos, 16 gols e 18 assistências
2019: 42 jogos, 14 gols e 15 assistências
2020: 23 jogos, 6 gols e 10 assistências
2021: 23 jogos, 5 gols e 15 assistências
2022: 3 jogos, 1 gol e 1 assistências

Em suma, o desejo do jogador de 30 anos é disputar a reta final da temporada no futebol brasileiro pelo Fla, e até uma foto sua com a camisa do clube vazou nas redes sociais.

Twitter: @diego_alarconf

Comentários do Facebook