deputado
Reprodução

A temporada 2022 rubro-negra foi regida por um assunto: Estádio próprio! Isso porque finalmente, segundo os dirigentes do clube, o plano de ter um lar próprio está para sair do papel. Entretanto, para o ex-presidente do Fla, Bandeira de Mello, o assunto pode não passar de uma “conversa fiada”, e que envolve as eleições nacionais no dia 2 de Outubro.

“Faltam alguns dias pra eleição, daqui uns dias a gente pode saber o que é promessa pra valer e o que é conversa fiada, o que é carruagem que vai virar abóbora. Então, a partir do dia 02 de outubro, a gente vai ter uma ideia mais clara do que efetivamente pode ser concedido ao Flamengo. E a partir daí, sim, trabalhar em algo bem estruturado. Porque isso não é algo que se resolve em 15 dias, dois meses. Planejar um estádio pra 100 mil pessoas é uma tarefa de extrema responsabilidade”, disse Bandeira, em entrevista ao ‘Canal do Benja’.

Maracanã é preciso, segundo Bandeira

Bandeira ainda falou que o clube não pode abandonar o Maracanã e precisa entrar no processo de licitação do estádio. Até porque a contrução levará alguns anos e há a necessidade de arrumar um local para mandar as partidas até lá.

“No momento, eu diria que não tem nada garantido (sobre a construção do estádio). Tem decisões importantes vindo da Caixa Econômica, decisões importantes vindo da prefeitura e o próprio Flamengo. Para colocar esse projeto no papel, não pode ser algo trivial. E mesmo saindo do projeto o estádio, o Flamengo vai ter que entrar no processo de licitação do Maracanã, até porque pra construir um estádio leva um tempo razoável”, acrescentou o ex-presidente rubro-negro.

Bandeira de Mello foi presidente do Flamengo de 2013 a 2018 e conquistou três títulos:  Copa do Brasil 2013 e os campeonatos estaduais de 2014 e 2017. Por conta das poucas conquistas, sua gestão foi muito criticada esportivamente. Contudo, foi a alavancada para a reestruturação do clube, falando de maneira financeira.

Twitter: @diego_alarconf

 

 

Comentários do Facebook