Carlos Eduardo treinando pelo Flamengo em 2014. Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

A famosa frase dita em 2014 pelo ex-meia do Flamengo, Carlos Eduardo, onde ele dizia que “ninguém vai querer jogar lá”, até os dias de hoje rendem diversos “memes” na internet. Depois de seis anos, o Rubro-negro se tornou a maior potência do futebol brasileiro e em entrevista ao jornal Extra, o jogador, que está sem clube, comentou sobre o episódio e pediu desculpas.

“Foi de momento, estava com a cabeça quente. Falei uma coisa que não foi legal. Claro que me arrependo, a gente erra e, naquele momento, eu errei. Todo mundo quer jogar no Flamengo, hoje você vê a potência que é. Tem torcedores em qualquer lugar do Brasil. Hoje, eu falaria que estava em um grande clube e que poderia crescer cada vez mais. Vai ser difícil bater de frente”.

Já virou parte da rotina dos torcedores a cada anúncio de um novo jogador nas redes sociais. Sempre que o Flamengo anuncia um atleta, boa parte da torcida comenta a frase que o jogador disse.

“Não acompanho muito rede social, tem muitas pessoas escrevendo coisas desnecessárias. Fico chateado só quando envolve uma ofensa à minha família. Mas, tirando isso, sei que toda torcida no Brasil é assim. Às vezes, passam dos limites. Mas hoje peço desculpas pelo que eu disse”.

Carlos Eduardo chegou ao Flamengo em janeiro de 2013 e foi duramente criticado pela torcida durante toda a passagem. Seu único momento de brilho no Rubro-Negro foi um gol contra o Cruzeiro nas oitavas de final da Copa do Brasil.

Dispensado em maio de 2014, o meia fez uma série de críticas à gestão do clube, à época presidido por Eduardo Bandeira de Mello, principalmente quanto ao tratamento nas saídas do técnico Jayme de Almeida e do lateral-esquerdo André Santos.

Atualmente, Carlos Eduardo está sem clube. Ele sofreu uma fratura no tornozelo quando atuava pelo Coritiba, ainda em 2018, e ficou 2019 praticamente sem jogar. Sem ter o contrato renovado pelo clube paranaense, ele treina de maneira particular, com um personal, em Itapema, Santa Catarina.

Comentários do Facebook