A notícia de que Pedro entraria na justiça contra o Fluminense, tem rendido bem mais do que o esperado tanto no lado Rubro negro, quanto no lado tricolor e hoje ganhou mais um capítulo.

O advogado Theotonio Chermont, representante do atleta Rubro negro, teve seu celular vazado e tem sofrido ameaças de supostos torcedores do Fluminense, é o que afirmou Michael Simoni, ex-coordenador médico do Flu em sua conta no twitter, revoltado com a situação, fazendo ainda um apelo para que as mensagens parassem.

-Caros tricolores e amigos. O meu papo com o Theo, advogado do Pedro, se iniciou como de dois amigos. Conheço ele, é um profissional sério e em uma democracia existem ideias discordantes. A divulgação do seu telefone pessoal e seguidas ameaças a sua família devem ser repudiadas de forma veemente. Isso é coisa de criminoso – escreveu Simoni no twitter, para continuar:

– As pessoas perderam a noção no futebol. Só ódio e agressividade. Respeitem quem pensa diferente. Eu defendo e sempre vou defender o Fluminense e sempre serei contra qualquer forma de ameaça ou invasão de privacidade. Por favor, encerrem de forma imediata atos agressivos. Defendo o Flu e sempre defenderei meus amigos que pensem igual ou diferente de mim.

Michael Simoni, ex-coordenador médico do Fluminense, condena ameaças a Theotonio Chermont, advogado de Pedro — Foto: Reprodução

Pedro entrou na Justiça contra o Fluminense na última quarta-feira com uma cobrança no valor de R$ 2.240.257,08. Dentre as cobranças da ação estão os pagamento de 13º salário proporcional de 2019, de férias do período 2018/2019, de parcelas atrasadas de FGTS e de verbas rescisórias. Além disso, o processo pede indenização e danos morais ao atacante pela lesão sofrida em 2018, além da exclusão do Tricolor do Ato Trabalhista, pedidos estes que têm gerado polêmica e debates entre torcedores e especialistas da área.

Comentários do Facebook