Foto: Flamengo

Na tarde deste domingo (5), o Flamengo perdeu para o Fortaleza por 2 a 1, no Maracanã, em partida válida pela 9ª rodada do Brasileirão. Everton Ribeiro anotou o gol rubro-negro na partida em um jogo que coletivamente a equipe foi muito abaixo. Paulo Sousa avaliou o jogo na entrevista pós-jogo:

— Avalio um primeiro tempo desastroso. Tecnicamente muito errôneo a nível individual. Muitas dificuldades. Perdemos vários passes que foram dando oportunidade ao nosso adversário. Quis o jogo e o nosso bom momento que pudéssemos igualar. Corrigimos no segundo tempo, fomos superiores. Tivemos oportunidade de sair em superioridade (no pênalti perdido). Nos faltou o último terço. Tomar opções mais individuais, no drible ou no cruzamento. Tivemos muitas dificuldades nas transições defensivas. Os contra-ataques foram muito fortes. Tecnicamente foi um jogo muito, mas muito mesmo, abaixo da nossa capacidade — analisou Paulo Sousa.

A equipe teve dificuldades e concedeu diversos contra-ataques para a equipe nordestina por conta de uma péssima recomposição.

Foto: Flamengo

— Analisando bem o que nos aconteceu, sem dúvidas todas as decisões individuais foram erradas. Coisas simples. Passes que deram oportunidade ao nosso adversário não só deram em gol, como poderiam dar em outras oportunidades. Depois, desde o início sei a exigência que o Flamengo tem e a importância de termos coragem de haver momentos de não agradar. Como sei que Deus não nos deu espírito de covardia. São nos momentos mais difíceis que temos que ser mais convictos. O que aconteceu hoje tecnicamente foi algo sem precedentes e que não vai acontecer — afirmou.

Substituído no intervalo depois de ser vaiado no primeiro tempo, Arão foi um dos piores jogadores em campo. Paulo Sousa também comentou sobre as falhas e vaias ao 5.

— Claro que tem impacto (vaias). Sobretudo com o Arão não é a primeira vez que acontece. É um jogador com muita personalidade. Nos últimos dez minutos melhorou muito. Deixou de falhar em termos de passe. Outros jogadores tem mais dificuldade, precisam de mais tempo. Mas há uma pressão, exigência muito grande no nosso clube, que é vencer. Não podemos errar — disse o português.

No segundo tempo, Pedro cometeu mais um erro cobrar o pênalti na trave. Segundo Paulo Sousa, a escolha do cobrador foi feita pelos próprios jogadores dentro de campo. Ainda de acordo com o treinador, os diversos erros individuais do time prejudicam uma análise mais profunda da partida.

— Tantos jogadores com erros individuais e técnicos, é difícil de acontecer. Por isso, claro que quando olhamos para um jogo destes, não conseguimos avaliar uma evolução, porque não existe. Hoje nosso adversário foi superior — concluiu.

O Rubro-Negro volta a campo na próxima quarta-feira (8) para enfrentar o Bragantino, às 20h30, em Bragança.

SRN

Twitter: @pabloraphaelrua

Comentários do Facebook