Jogos do Flamengo sofreram alterações. O Maracanã também é dúvida para receber as partidas - Alexandre Vidal / Flamengo

Após toda a discussão envolvendo Braz e Paes no Twitter, parece que o plano para voltar aos estádios voltou a ser desenvolvido.

Teve uma entrega de uma sugestão de protocolo na Prefeitura, os técnicos da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro deram o sinal verde e o Flamengo terá o Maracanã parcialmente aberto pela Libertadores.

No entanto, a diretoria queria 30% da carga para o duelo, mas a Prefeitura entendeu ser inadequado o número e se baseou na experiência da final da Copa América para tomar a decisão.

Com isso, o clube irá continuar monitorando outros estádios pelo Brasil onde que seja benéfico aos cofres somando valor dos estádios + lucro de bilheteria.

A partir do dia 2 de setembro, o Rio vai iniciar um plano de retomada mais agressiva, anunciado pela Prefeitura do Rio.

A volta do público aos estádios está contemplada já nessa primeira fase, mas apenas pessoas com as duas vacinas terão acesso aos 50% de assentos disponíveis.

Nas redes, Braz pressiona Paes para volta de público nos estádios

Com a realização da primeira partida com público contra o Defensa y Justicia, o Flamengo busca viabilizar a volta do público nos estádios. Pelas redes sociais, o vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz, pressionou o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, para a volta do público no Maracanã.

Braz pressiona Paes para volta do público no Maracanã

Através de suas redes sociais, Eduardo Paes anunciou que, após um atraso, todos os cariocas receberam a primeira dose da vacina contra COVID-19 até o dia 18 de agosto. Em tom de ironia, o dirigente rubro-negro questionou quando será possível a volta do público no Maracanã.

Twitter: @pabloraphaelrua

Quer receber as notícias em seu whatsapp? Sim? Então, salve o nosso contato: (21) 97876-5385 e mande uma mensagem para nós!