Rafinha, hoje no São Paulo, escreveu seu nome na história do Flamengo ao fazer parte do time histórico de 2019, que conquistou a Libertadores e Brasileiro de daquele ano. Sob o comando de Jorge Jesus, o lateral ainda venceu a Supercopa do Brasil, Recopa Sul-Americana e Campeonato Carioca com a camisa do Flamengo em 2020.

No entanto, o lateral-direito decidiu trocar o Flamengo pelo Olympiacos logo após a chegada de Doménec Torrent. A saída de Rafinha, um dos líderes do grupo, foi um golpe na torcida, que tratava o jogador como ídolo do clube após um ano tão marcante.

“Eu joguei um ano no Flamengo aqui, parece que eu joguei 50. Foi tão intenso aquele ano, de tanta conquista, de tanta vitória, um ano especial. Do meu lado pessoal também. Da minha família poder me ver jogar no Maracanã toda semana já sabendo que a gente ia ganhar todos os jogos. No meu lado pessoal e profissional, o que eu pensava? ‘Vou seguir minha vida, joguei um ano aqui e ganhei tudo’. Mas para a torcida, isso foi um golpe muito forte”, disse Rafinha, em entrevista ao Flow Sport Club.

Filipe Luís ficou de mal com Rafinha

Mas não foi só a torcida do Flamengo que não aceitou de boa a saída do lateral. Filipe Luís, amigo pessoal de Rafinha, e um dos principais jogadores do elenco rubro-negro, decidiu dar um “gelo” no companheiro por ter decidido abandonar o grupo.

“O Filipe Luís deu entrevista aí recente, falou que ficou zangado comigo. Eu mandei mensagem para ele, falei ‘ô magrelo, você tá de brincadeira, hein?’. Por isso que ele não falava comigo. Eu fui pra Grécia, ele não falava comigo. Eu mandava mensagem, ele visualizava e não respondia. Agora que eu fui descobrir que ele falou que não ia me perdoar nunca. Se o Filipe, que é meu parceiro, jogou comigo desde 2003, sub-17, sub-20, ficou zangado comigo, imagina o torcedor”, finalizou.