Na entrevista exclusiva realizada para nossa equipe do Urubu Interativo, Renê Simões deu detalhes de como conheceu o técnico Jorge Jesus lá em 2012, e conversou sobre o futebol brasileiro, São Paulo (onde ele era dirigente) e métodos do Mister no extra campo. Renê é assumidamente admirador do trabalho do Português e revelou a história:

FOTO: PAULO CAMPOS/AGIF/FOLHAPRESS

Renê: Olha, em 2012 eu tava no São Paulo e nós fizemos um planejamento: o Método com padrão São Paulo de qualidade. Então… nós montamos um planejamento baseado em pesquisas que nós fizemos como jogava o São Paulo, como era o gosto dos diretores, da torcida do São Paulo e montamos esse método. Levamos tudo para a Universidade do Esporte, que fez um programa de EAD (Ensino a distância) onde os nossos treinadores treinavam dentro desse método, e eles tinham que fazer um curso. Nós éramos, nós e o Ajax,os únicos dois clubes (que eu soubesse) no mundo inteiro que tinha um plano próprio de treinamento de treinadores. E aí eu quis fazer um Simpósio Internacional, e o Evandro Mota, que faz a orientação e o desenvolvimento mental junto ao JJ já a bastante tempo… O Evandro é um fenômeno, em 85 o Botafogo foi campeão brasileiro, o “Evandro” estava lá. Depois o Abel foi campeão da Libertadores, o “Evandro” estava lá. Foi campeão do Brasil com o Parreira, o Evandro o estava lá. Então aí depois todo o sucesso do JJ lá com os títulos em Portugal o Evandro estava com ele. E eu liguei para o Evandro e disse que estava querendo um treinador…E ele já estava trabalhando em Portugal 2 ou 3 anos. “estou querendo trazer um treinador para o Brasil, um treinador diferente, mas não queria aquela mesmisse” e ele na hora respondeu: Jorge Jesus! Meu treinador aqui do Benfica.Pode levar que você vai ver um trabalho diferente.

Aí ele começou a me falar do treinamento em sala, de como ele cuidava do campo e como ele fazia com bola coberta e descoberta… Ele me falou algumas coisas do treinamento. Não tudo porque ele não é um técnico, então ele não conseguiria me falar tudo. E aí eu passei a acompanhar mais os jogos do Benfica e depois do Esporte para ver o que ele tinha e o que ele fazia.

Aí eu liguei para ele (JJ) convidando-o para vir ao São Paulo e tivemos algumas trocas de telefonemas falando sobre o futebol do Brasil. Ele acompanhava tudo, sabia de tudo, sabia nome de jogador, e aí eu começei a acompanhá-lo. Daí é que vem essa admiração e algumas coisas eu coloquei, como o treinamento em sala, que eu acho fantástico.” Completou o Renê Simões.

Comentários do Facebook