Foto: Reprodução
Estou há um tempo para escrever essa análise e o últimos gols de Gabriel Barbosa, apenas me ajudaram na afirmação da minha tese. A principal arma e habilidade do camisa 9 é a percepção, sim. Não é o chute e nem o drible, Gabriel é um jogador que entra na partida 100% focado para uma falha de posicionamento ou técnico do defensor.
Isso se deve ao jogador ser dinâmico em campo e nunca parar em apenas um faixa central, claro, é um bom finalizador e driblador também, mas o que faz o Gabigol ser tão goleador é a atenção nos detalhes do jogo, coisa que poucos jogadores tem com tão sutileza como o artilheiro.
Separei alguns lances dos 2 últimos gols do Gabriel e outros 2 importantes na temporada passada:
1- Gabigol x Fluminense (Carioca)
Foto: TV

O gol acontece por causa de uma recuada para o defensor errada para o defensor tricolor, e o Gabigol ao perceber que a bola já saiu com muita força para o zagueiro, correu para o ponto futuro da bola. Neste lance entra o mérito da explosão do jogador e como citado, percepção do erro do passe na origem.

2 – Gabigol x CAP (Supercopa)

Foto: Ueslei Marcelino

No gol da supercopa o artilheiro percebeu uma falha quando o lateral Márcio Azevedo do CAP, tentou recuar a bola para o goleiro Santos de peito. A agilidade do Gabriel foi mais rápida que toda a defesa do Furacão, e assim, o artilheiro deixava o gol dele em mais uma competição.

3- Gabigol x Santos (Brasileirão 19)

Foto: TV

Gabriel fez valer a lei do ex com um belo gol de cobertura que mistura técnica bem aprimorada e a atenção ao perceber e notar que o goleiro do Santos estava há alguns passos na frente de seu gol. Seria até ”simples” o gol se fosse uma partida comum, mas o jogo valia o título do primeiro turno e estava a 220V.

4- Gabigol x River (Libertadores)

O último e para mim o mais importante é o gol da virada contra o River na final, o Gabigol em uma disputa com Pinola Jr, foi ganha na força e na percepção do jogador que a cabeçada do zagueiro seria errada, ele se programou para o ponto futuro da bola para uma finalização de primeira para virar o placar contra o River.

Em alguns lances vimos que o atacante consegue ser quase completo, força, chute, atenção e técnica. Para mim o ponto fraco do Gabriel é a altura, que para ele não é nenhum problema enquanto souber se posicionar bem, mas ainda a percepção do atacante é o principal diferencial do arilheiro.

 

Comentários do Facebook