Todos nós sabemos que os anos na era cristã, começaram a ser contados a partir do nascimento de Cristo, dividindo a história da humanidade em antes de Cristo (a.C.) e depois de Cristo (d.C.).

Deixando a analogia religiosa um pouco de lado, parece que para alguns torcedores a “vida” do Flamengo começou após a chegada do Jorge Jesus, que de fato, se tornou uma vida bem melhor! Mas calma torcedor, a possível saída do treinador não nos regressará aos tempos sombrios de “cheirinhos” e vexames, Jorge Jesus deixará um legado para os jogadores, comissão e diretoria.

O possível substituto, deverá ser bem experiente e requisitado, com filosofias de jogo parecidas ou bem próximas com a do Mister, não pode ser qualquer um, porque continuará um legado de futebol ofensivo. Diferente de alguns anos, onde o novo técnico tinha que mudar estilo de jogo e arrumar uma bagunça, o presidente Landim só deverá procurar alguém que de segmento de um trabalho, será fácil? Não! Mas bem mais fácil do que começar algo do 0.

Jorge Jesus em minha visão é o melhor técnico dessa década no Brasil, talvez ao lado de Tite. Ele é ídolo do Flamengo, o Mister recuperou o futebol bonito que o brasileiro gostava de ver, eleito até o futebol mais bonito do século aqui na terra tupiniquim.
Mas passou, ou passará, Jorge Jesus passará, Gabigol passará e Bruno Henrique passará. Só restará o Flamengo e sua imensa torcida! E as coisas boas que terão que ficar como aprendizados de contratações e gestão.

Haverá vida pós Jorge Jesus, talvez até um dia ele volte para arrumar uma possível bagunça, mas há técnicos que possam assumir essa bela equipe que ficou, saiu apenas Pablo Marí, as peças estão na Gávea ainda, basta ter paciência também com quem assumir a beira de campo rubro-negra.