Chegamos ao sprint final: são seis jogos que valerão por nossas vidas, nossos sonhos, desejos e paixões. O Flamengo, neste domingo enfrentará o Grêmio, em mais uma partida desta maratona tão sonhada por outros times e que esperamos que seja cada vez mais comum a nós.

A partida terá algumas nuances especiais, pois o Grêmio ainda está engasgado pela derrota fragorosa e humilhante na competição onde o mesmo se gabava de conhecer como a palma de sua mão, a Libertadores. Foi lá que o Flamengo, como um Leão raivoso, fez do Grêmio um cervo que se converteu numa presa a qual o Mais Querido, sem soltar, a estraçalhou impiedosamente.

Além disso, o Flamengo traz uma carga emocional e física pesadíssima pois se aproxima a Batalha Final da Libertadores. Por isso, alguns incautos, ou por inocência ou por excesso de confiança, dizem que o Flamengo deve poupar de 1 a 11 contra os goleados do sul. Erro de avaliação, pois o time terá seis dias de descanso até a final, e não é bom perder ritmo de jogo.

E não devemos esquecer que enfrentamos um campeonato da CBF em nosso quintal. Um campeonato contra um rival poderosíssimo nos bastidores, que vence partidas sem merecer, que tem tiros penais marcados por interferência do zagueiro “poça d’ água”, que quando precisa vencer, a arbitragem anota 10 minutos de acréscimo e quando seus adversários marcam gols, o VAR invalida, como contra o Ceará. Então por mais que nosso futebol esteja anos-luz à frente do Palmeiras, todo cuidado é pouco, pois um tropeço no sul pode reduzir a diferença para 5 pontos, havendo um confronto direto fora de casa.

Então, devemos levar o que há de melhor em nosso elenco para a peleja na província fronteiriça. Se os laterais estiverem desgastados, que sejam poupados, mas Gabigol, os zagueiros, De Arrascaeta e Ribeiro são imprescindíveis nesta partida. Chegou a hora de dar um gás a mais, de “poner huevo” como dizem os argentinos, jogar com o coração e tentar trazer os três pontos do sul. Nada deve nos parar! E para quem argumenta com possíveis lesões, até mesmo em treino o jogador pode se machucar.

E se alguém machucar, vamos com tudo pra cima do time da faixa diagonal argentino. Ao infinito e além.

Texto de Vinicius Andrade

Comentários do Facebook