Foto: reprodução
Foto: reprodução

O técnico do Botafogo, Paulo Autouri, foi julgado na última segunda-feira pela Primeira Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), e foi absolvido. O comandante do alvinegro acusou o Flamengo de favorecimento pelo VAR, após empate em 1 a 1 no Maracanã. A sessão foi por vídeoconferência.

Falei de maneira clara e ratifico minhas palavras, que, em função dos erros acontecerem da mesma maneira e serem empatizados em relação a alguns, dá a chance a uma suspeição. Não me referi especificamente àquele jogo. Eu falo de conceitos e, conceitualmente, falei o que queria ter dito. Não tiro uma palavra do que disse. Com 45 anos de trabalho e com parâmetros claros, me sinto no direito de emitir opiniões. Tudo que eu falei teve uma construção lógica. Quero dizer que os acontecimentos que têm ocorrido dá chance a que ocorra uma certa suspeição porque ocorrem da mesma maneira. Falo de uma maneira abrangente. Minha visão é sistêmica, eu vejo o todo e não situações fragmentadas. Acho que o futebol brasileiro precisa dar espaço a mais debate”, disse Autuori.

O motivo pela reclamação do treinador foi o pênalti dado para o Flamengo, aos 51 minutos do segundo tempo, no clássico contra o Botafogo. O jogo era válido pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro, a após Bruno Henrique finalizar, o zagueiro Marcelo esticou o braço e interceptou a ultrapassagem da bola. O VAR chamou o árbitro e apontou pênalti para o rubro-negro. Autuori foi absolvido no artigo 258 (conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva) e houve desclassificação da denúncia no artigo 243-F (ofensa) para o 258, com pena mínima convertida em advertência.

Quer receber notícias do Mengão em seu celular? É fácil! Mande uma mensagem no Whatsapp para o número (21) 96534-7050.

Comentários do Facebook