Flamengo
Reprodução

No próximo sábado (15), às 20h30, o Flamengo e o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) entram em campo para enfrentar um adversário que causa dor e sofrimento para muitas famílias no Brasil: o desaparecimento de crianças.

Por ano, cerca de 22 mil crianças e adolescentes são declarados desaparecidos no Brasil. Na partida válida pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro, contra o Atlético-MG, no Maracanã, será exibido, nos telões, um vídeo sobre o Sistema Nacional de Localização e Identificação de Desaparecidos (Sinalid), com imagens ilustrativas que remetem a casos de crianças desaparecidas. A iniciativa é fruto de uma parceria desenvolvida entre CNMP, por meio da Comissão de Defesa dos Direitos Fundamentais (CDDF) e o clube.

A CDDF, presidida pelo conselheiro Otavio Rodrigues, coordena o comitê gestor do Sinalid no CNMP. O Sinalid é uma rede de órgãos públicos apoiada pelo CNMP para encontrar pessoas. O sistema está consolidado como o maior instrumento público de enfrentamento do desaparecimento de pessoas e situações correlatas no país.

Para exemplificar o uso do sistema, o Sinalid já colaborou com a localização de pessoas em três das maiores tragédias humanas nacionais: enchentes da região serrana do Rio de Janeiro; rompimento da barragem de rejeitos do Córrego do Feijão, em Brumadinho, Minas Gerais; e a pandemia de Covid-19.

Na página do Sinalid, no portal do CNMP, os cidadãos encontram notícias e atos normativos relacionados ao sistema e podem ver quais estados já implementaram os programas de localização de pessoas desaparecidas. Também é possível ter acesso a um painel – em formato de Business Intelligence (BI) – que compila estatísticas de caráter geral disponibilizadas por cada Ministério Público Estadual.

Comentários do Facebook