Adidas
Reprodução

A Adidas não tem atendido a demanda de camisas após os títulos da Libertadores e Copa do Brasil, e sendo assim, faltam peças em lojas físicas e virtuais.

A negociação de renovação para este ano estabeleceu um aumento da participação do clube em royalties por peças vendidas. Para entender o quadro, é preciso lembrar que o contrato foi refeito no início de 2022. Pelos termos antigos, o Flamengo levava em torno de R$ 40 milhões, sendo uma parte menor em royalties. A partir deste ano, o valor fixo caiu, mas os royalties aumentaram de 11,5% para 35% do valor de cada peça. A expectativa rubro-negra era ganhar R$ 75 milhões por ano.

Foi feito um contrato retroativo pelo qual o Flamengo ganhava com as vendas de 2021. No total, foram vendidas 1,5 milhão de peças da Adidas na temporada passada. A questão é que, na fase mais vitoriosa do time, há falta de peças nas lojas. Na loja virtual do Flamengo, não há os dois modelos da camisa número 1 rubro-negra, nem um dos modelos da camisa 2. Também constam com esgotadas camisas pre-jogo, de treino, modelos de jaquetas e moletons. Em lojas físicas no Rio de Janeiro, a realidade é parecida.

Twitter: @Diego_alarconf

Comentários do Facebook