Imagem: Flamengo
Imagem: Flamengo

 

Hoje, dia 8 de fevereiro, completa um ano da lamentável tragédia no Ninho do Urubu. Na última semana começou uma mobilização muito grande em homenagem aos meninos que não resistiram ao incêndio.

Hoje pela manhã, conversamos com o primo de um dos meninos que foi vítima fatal do ocorrido. João Vitor, primo de Jorge Eduardo, mora em Minas e conversou conosco por telefone.
Quando questionado sobre o local em que ele estava quando soube do que houve, sua relação com Jorge e como foi pra ele receber a notícia de que Jorge era vítima fatal, João declarou de forma emocionada:

“Eu estava com ele na semana que antecedeu o incêndio. Estávamos em uma festa, perguntei quando ele voltaria pro Rio e ele disse que na segunda feira. Na quinta feira (07), eu mandei mensagem pra ele perguntando se ele já tinha chegado. Ele disse que já tinha chegado sim, que estava tudo bem e que já tinha até ido ao shopping com alguns meninos. Foi a última vez que falei com ele. Eu estava em São Paulo, na sexta do ocorrido, a minha mãe me ligou e pediu para que eu ligasse a televisão. Naquele momento começou o terror. Eu tentei ligar pra ele, eu liguei muito, mas nada. Foi angustiante. Aí avisaram no grupo da família que o Jorge não tinha resistido. Foi uma tristeza muito grande pra mim.”

Quando questionado sobre os pais de Jorge, como eles teriam recebido a notícia, o rapaz declarou:

” Eles estavam trabalhando quando souberam do incêndio, mas não tiveram notícias de Jorge. Foram imediatamente pro Rio, nem foram em casa. Foi uma dor muito grande”

Hoje foi ao ar, no globo esporte de Minas, uma matéria com os pais do jovem. Em trecho emocionante da matéria, o pai de Jorge declarou que é tudo diferente e que ele está aprendendo a viver com a ausência do filho ainda. A mãe do jovem contou que recebeu a notícia durante o trajeto pro Rio, quando olhou na internet que havia 3 sobreviventes e o seu filho não estava entre os 3.

Em Minas, como mostrou a matéria do Globo Esporte local,foi criado um time em homenagem a Jorge Eduardo, o JE, e a mãe do jovem, durante a reportagem, ao assistir algumas crianças brincando no campo e disse: ” Aqui, nessas 4 linhas, o Jorge era rei. Meu filho jogou muito”
Ainda contou um pouco sobre a empolgação do jovem, que chegou o clube em 2016, e após 5 partidas passou a ser capitão da equipe sub-15.

Na entrevista com João, quando questionado sobre o posicionamento do clube, o jovem declarou que o clube trata a situação com total descaso. E seguiu dizendo:

” O clima em Além do Paraíba ( MG) é de luto hoje. Vamos fazer uma oração na praça da cidade de noite.”

A você, João, aos pais de Jorge e aos demais familiares, desejamos os nossos sentimentos e já deixamos claro que não compactuamos com a postura do clube. Esperamos que tudo se resolva para que vocês possam ter um pouco mais de paz. Tenham certeza que Jorge, assim como os outros 9 garotos, não serão esquecidos pela torcida. Nossos sentimentos!

Comentários do Facebook