Deputado
Reprodução

O sonho do estádio próprio continua nas pautas rubro-negras. Sonho da diretoria e dos torcedores, a cada dia que passa, vai se tornando mais real a construção da Arena rubro-negra. Nesse sentido, o deputado Pedro Paulo falou sobre o assunto.

Em entrevista ao PodFla, podcast do  portal “Coluna do Fla”, o deputado falou sobre as conversas com Rodolfo Landim, presidente do Flamengo e deu diretrizes para o projeto sair do papel:

“Landim me ligou e falou de uma área no centro, falou do Gasômetro. Aí falamos com o Eduardo, ele: “Caramba, ali é Porto Maravilha, potencial construtivo é muito alto, muito caro para o Flamengo.” Aí eu falei: “Calma, vamos estudar.” E a gente, com calma, foi pensando a solução. O que ajudou também foi que logo depois, veio o Bolsonaro e falou numa coletiva que não precisa de prefeito para intermediar. O Eduardo ficou provocando e falou que precisava, sim, e iria ajudar. Aí eu falei: “você já é vascaíno, vai com calma”, risos. Dá para transferir potencial construtivo, acho que dá para fazer. Aí ele começou a postar “estádio do Mengão”. Eu falei: “Po, esse cara vai virar a casaca”, risos -, disse, antes de prosseguir:

“Eu acho que fazer menor que isso (100 mil) é desperdício. A gente vê a quantidade de gente que quer ir ao Maracanã e não consegue… Você tem um potencial de uso que justifica um estádio de 100 mil porque é uma torcida gigante. E se você falar na experiência fora do estádio, tem que pensar grande mesmo. O Flamengo é gigante e tem que pensar gigante mesmo. Ele (Landim) está pensando em um modelo que tenha desdobramento fora, discutindo com grandes fundos de investimento, compondo um time para fazer o modelo ficar de pé, e acho que tem completa viabilidade imaginar isso. Tem cidade do samba, não pode ter uma cidade do futebol? Uma cidade do Flamengo?” -, contou.

Com o aval de Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro, e com o auxílio de Jair Bolsonaro, o Flamengo negocia com a Caixa Econômica Federal, responsável pelo terreno. O clube, inclusive, já iniciou as conversas com a instituição para viabilizar a construção.

Twitter: @diego_alarconf