Reprodução: Alexandre Vidal / CRF

O futuro de Gabriel Barbosa no Flamengo ainda está indefinida, porém, na manhã desta quarta-feira, o atacante concedeu uma entrevista coletiva antes de iniciar os treinamentos no Ninho do Urubu. O atacante deixou no ar um tom de despedida do Rio de Janeiro e disse que a partida contra o Avaí, nesta quinta-feira, às 20h, no Maracanã, poderá ser a última pelo Rubro-negro.

“Vai ser especial para mim. Desde a primeira vez que entrei no Maracanã, para ser apresentado, foi especial. Sempre foi um sonho jogar no Maracanã com a camisa do Flamengo. Essa pode ser a última vez, a gente não sabe. Vou tentar aproveitar da melhor maneira possível e me doar, como sempre fiz. Estou muito animado para esse jogo, vai ser especial. Espero que a casa esteja lotada, como sempre. Entrar no Maracanã com a camisa do Flamengo é indescritível, nunca mais vou esquecer. Se acontecer de eu voltar, vou ficar também muito feliz”.

O Flamengo negocia a permanência de Gabigol, porém só depende do próprio atacante, pois já está tudo negociado com a Inter. Na temporada, Gabriel marcou 42 gols. O atacante foi o responsável por fazer os gols do título da Libertadores contra o River Plate e se sagrou artilheiro da competição. Pelo Brasileirão, Gabigol balançou as redes 24 vezes e lidera a artilharia.

Veja outros pontos da entrevista coletiva.

Superstição.

“Não acredito em superstição. Usar a mesma cueca, não tocar na taça… Deus é maior que tudo. Ainda bem que quebrei esse paradigma de tocar na taça antes do jogo. Mostrei que isso não existe”

Se acha ídolo?

“Difícil me achar ídolo. Fica mais com vocês. Onde vou sinto o carinho da criançada. Esse do Palmeiras foi engraçado, porque o menino disse que queria um gol meu, apesar de ser Palmeiras. Acho que por causa da comemoração, cabelo diferente, gols… Tudo isso mexe”

Comentários do Facebook