Foto: Wesley Ramon
Foto: Wesley Ramon

Se antes a diretoria vascaína dizia que não jogaria no Maracanã enquanto o Flamengo administrasse o estádio, agora as coisas mudaram e graças a grande adesão de sócios-torcedores (100 mil novas adesões) os vascaínos mudaram de ideia e querem utilizar mais o estádio em 2020. Assim que o Rubro-negro assumiu a administração do Maraca, o Vasco se afastou em forma de protesto.

Com mais de 130 mil sócios, graças a promoção da Black Friday, a diretoria do Vasco decidiu “premiar” os torcedores, e por isso, o jogo contra a Chape no próximo domingo será no estádio. Em entrevista ao UOL, o vice de controladoria do Vasco, Adriano Mendes, deu mais detalhes.

“O jogo da Chape tem dois propósitos. É uma celebração com minha torcida e uma poderosa mensagem ao mercado. A nova massa de sócios que tenho agora somente reforça o que já estava decidido antes: o Vasco e o estádio (Maracanã) são indissociáveis e vamos lutar muito para jogar lá nas condições que sempre jogamos. E, com esse número de sócios, essa visão estratégica se soma a uma clara necessidade operacional. Logo devemos jogar mais lá”.

Segundo o dirigente, o Vasco nunca abriu mão de jogar no Maracanã, mas questionava a concessão. “O debate e o dissenso que tivemos com o Flamengo foi pelas condições não igualitárias que, com todo o respeito a grandeza do Flamengo, sempre entendemos que deveriam existir em qualquer condições de negociação entre o Vasco e outro clube nacional. Não aceitamos olhar ninguém de baixo”.

O Flamengo não fez jogo duro ao alugar o estádio para seu rival, como disse Severiano Braga, gerente de estádios rubro-negro e diretor do Maracanã.

“São as mesmas condições de Flamengo e Fluminense. O aluguel e paga-se os fornecedores que já estão no estádio”.

Comentários do Facebook