flamengo
reprodução

O Flamengo divulgou a demonstração financeira do segundo trimestre deste ano. Com isso, registrou um lucro de R$ 44 milhões, que compensam parcialmente as perdas do primeiro trimestre (R$ 63,6 milhões). Entretanto,  já era previsto no orçamento por causa da receita menor devido ao Campeonato Carioca.

A princípio, o déficit acumulado no ano é de R$ 19,7 milhões. A receita bruta acumulada é de R$ 437,7 milhões. Nisso, o clube acredita que conseguirá alcançar ao fim do ano a meta de bater a marca de R$ 1 bilhão.

O demonstrativo informa que, apesar do Flamengo ter aumentado seu custo com fornecedores em relação ao primeiro trimestre (de R$ 31,2 milhões para R$ 43,8 milhões), explicado em parte pela inflação, e também aumentado o valor de salários pagos (de R$ 42,4 milhões para R$ 50,6 milhões), o clube conseguiu reduzir neste período a dívida em mais R$ 10 milhões.

Sobre possíveis despesas com processos judiciais, o relatório destaca a boa notícia de que o Flamengo teve uma decisão favorável no caso com o Banco Central, em que o clube corria risco de ter multa de até R$ 127 milhões.

O que falta pagar?

O Flamengo ainda tem a pagar R$ 172,5 milhões por compra de jogadores.  Sendo assim,  R$ 77,9 milhões no curto prazo, e R$ 94,5 milhões parcelados de julho 2023 em diante. A verba a receber por venda de atletas é de R$ 99,3 milhões. Nesse sentido, sendo R$ 65,7 milhões no curto prazo e R$ 33,6 milhões no longo prazo.

Então, a diferença no balanço de compras e vendas é negativo em R$ 62,2 milhões. Esse saldo a pagar aumentou em cerca de R$ 30 milhões em relação ao primeiro trimestre, principalmente pelo fato do Flamengo ter recebido neste período créditos de volume superior ao que foi pago em dívidas com outros clubes, principalmente do valor recebido de bônus contratual com o Olympique de Marseille (Gerson).

A diferença entre o que Flamengo gastou e o que ainda receberá vai aumentar, já que a diretoria está firme no mercado para reforçar o elenco e investiu nas chegadas de Erick Pulgar, Vidal e, principalmente, Everton Cebolinha (foi anunciado dia 20 de junho, mas só apareceu no BID após o fechamento do segundo trimestre). O relatório aponta que será necessário vender atletas.

Twitter: @diego_alarconf

Comentários do Facebook